Translate

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Aprendendo a disciplinar a língua

A Palavra de Deus declara:

(Provérbio 18:21) “A língua tem poder sobre a vida e sobre a morte; os que gostam de usá-la comerão do seu fruto.”

A Palavra de Deus reconhece o poder da língua tanto para fazer um grande bem como para fazer um grande mal, e afirma que nos alimentaremos de nossas próprias palavras. Com base nesse entendimento devemos nos dedicar a aprender como usar a nossa língua corretamente.
  • As advertências bíblicas nesta área são grandes.


O uso das palavras e a responsabilidade dos mestres:

(Tiago 3)
(1) “Meus irmãos, não sejam muitos de vocês mestres, pois vocês sabem que nós, os que ensinamos, seremos julgados com maior rigor.
Nessa época muitos buscavam por status a posição de mestre (instrutor), porque eles eram grandemente respeitados.

Tiago não estava impedindo ninguém de exercer o ministério de ensino, ele estava mostrando o tamanho da responsabilidade que enfrentariam.

Se o mestre fracassar no seu ofício (dirigindo mal a Palavra de Deus e a sua própria vida) será julgado com mais severidade por ocupar uma posição de influência.

Ele precisa está preparado para enfrentar um julgamento mais severo onde poucos serão aprovados no final.

Aquele que ensina tanto pode abrir a porta do Reino dos céus como pode fechá-la. 
  • (Mateus 23:13) “Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês fecham o Reino dos céus diante dos homens! Vocês mesmos não entram, nem deixam entrar aqueles que gostariam de fazê-lo.”  

A exortação agora se estende para todos os cristãos:

(2) Todos tropeçamos de muitas maneiras. 

Todos nós cometemos deslizes em nossa caminhada de fé. 

Se alguém não tropeça no falar, tal homem é perfeito, sendo também capaz de dominar todo o seu corpo. 

A fala é o comportamento mais difícil de ser aperfeiçoado. Quem consegue dominar a língua, consegue dominar todas as suas ações.
  • A maturidade no falar deve ser o alvo de todo cristão, principalmente daqueles que ensinam. 


O menor dos instrumentos governa um grande corpo:

(3) Quando colocamos freios na boca dos cavalos para que eles nos obedeçam, podemos controlar o animal todo.

O freio na boca do cavalo governa o cavalo por inteiro. 


(4) Tomem também como exemplo os navios; embora sejam tão grandes e impelidos por fortes ventos, são dirigidos por um leme muito pequeno, conforme a vontade do piloto. 


O leme do navio governa o navio por inteiro. 


(5) Semelhantemente, a língua é um pequeno órgão do corpo, mas se vangloria de grandes coisas. 


A língua governa toda a nossa vida, e exerce uma grande influência no corpo da igreja. 
  • A língua precisa ser controlada para produzir resultados positivos. 


O poder da língua quando usada para a destruição: 

Vejam como um grande bosque é incendiado por uma simples fagulha.

Uma simples fagulha de fogo incendeia um grande bosque. 


Assim são as palavras destrutivas, elas têm o poder de causar grandes problemas. 
  • (Provérbios 26:20,21) “Sem lenha a fogueira se apaga; sem o caluniador morre a contenda. O que o carvão é para as brasas e a lenha para a fogueira, o amigo de brigas é para atiçar discórdias.” 

(6) Assim também, a língua é um fogo; é um mundo de iniquidade. Colocada entre os membros do nosso corpo, contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno.


Palavras destrutivas são incendiadas pelo próprio inferno, por isso destrói pessoas, casamentos e amizades...


O ser humano consegue domar animais, mas sozinho não consegue domar a própria língua: 

(7) Toda espécie de animais, aves, répteis e criaturas do mar doma-se e é domada pela espécie humana; 
(8) a língua, porém, ninguém consegue domar.

Só conseguimos domar a língua com a ajuda do Espírito Santo, e é necessário também grande vigilância, esforço e oração.


O poder da língua quando usada para a contaminação:

É um mal incontrolável, cheio de veneno mortífero. 

A língua incontrolada também é comparada ao veneno de um animal mortífero.

  • Quantas pessoas estão paralisadas por causas de palavras cheias de veneno... 


Louvor e maldição não podem sair da mesma língua: 

(9) Com a língua bendizemos ao Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus.
(10) Da mesma boca procedem bênção e maldição. Meus irmãos, não pode ser assim!

Isso é a uma grande contradição... Louvar a Deus e amaldiçoar as pessoas feitas à semelhança de Deus. 


Devemos amar os nossos semelhantes:

  • (Mateus 22:37-40) “Respondeu Jesus: ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.” 


As contradições não podem ser encontradas 
na natureza, portanto não podem
ser toleradas em nós:

(11) Acaso pode sair água doce e água amarga da mesma fonte? 

Impossível... 


Uma fonte não pode jorrar dois tipos de águas, se isso acontecesse, a água amarga estragaria a doce. 


(12) Meus irmãos, pode uma figueira produzir azeitonas ou uma videira, figos? Da mesma forma, uma fonte de água salgada não pode produzir água doce." 


Impossível... 


Espera-se que uma figueira sempre dê figos e uma oliveira sempre dê olivas. Portanto, não podemos amaldiçoar as pessoas...


As nossas palavras denunciam se somos pessoas tementes a Deus: 

(Tiago 1:26) "Se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum!"
  • Religioso (grego): adjetivo que significa temente a Deus... somente neste texto. 
Todo cristão deve aprender a desenvolver o hábito de pensar antes de falar:
  • (Tiago 1:19) “Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se.” 
E falar somente palavras que vão gerar crescimento:
  • (Efésios 4:29) "Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem." 


Devemos cuidar do nosso coração:

(Mateus 12:34b) "A boca fala do que o coração está cheio.”

Para conseguirmos disciplinar a língua devemos limpar primeiro o interior:

  • (Mateus 23:26b) “Limpe primeiro o interior do copo e do prato, para que o exterior também fique limpo.” 
E isso só é possível através do conhecimento da Palavra de Deus: 
  • (Efésios 5:26b) “...tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra.” 


O falar corretamente gera uma vida abençoada:

(1 Pedro 3:10) "Pois, quem quiser amar a vida e ver dias felizes, guarde a sua língua do mal e os seus lábios da falsidade."

Um grande número de problemas que enfrentamos é pelo mau uso da língua. Palavras sem sabedoria e mentiras não devem fazer parte da vida do cristão.

  • (Provérbio 13:3) “Quem guarda a sua boca guarda a sua vida, mas quem fala demais acaba se arruinando.” 

Em Deus... Sempre temos a oportunidade de um novo começo:

Quando nós confessamos os nossos pecados a Deus, Ele nos perdoa e nos purifica de todo o pecado.
  • (1 João 1:9) “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.” 

Graça e paz,
Pra. Angela Caldas.